31 de agosto de 2013

Cabra nasce com rosto “humano” no Ceará


O proprietário da Fazenda Agropecuária Lima, no Sertão do Ceará, levou um susto na manhã da última terça-feira (27) ao realizar o parto de uma cabra. O fato curioso foi que os dois filhotes da mesma mãe nasceram com problemas, sendo que um deles tinha a cabeça no formato das de seres humanos (com boca e nariz semelhantes aos de uma pessoa).
O Sr. Raimundo Pereira, dono da propriedade, disse que estava com dificuldades no parto e chamou uma pessoa para ajudá-lo. O primeiro filhote tinha a cabeça de humano, e já foi retirado sem vida, e o segundo nasceu com uma deficiência, e logo em seguida morreu.
Entretanto, no mesmo dia ainda nasceram seis filhotes de outras cabras, sendo que cinco destes tinham anormalidades e morreram. Apenas um nasceu perfeito e ainda sobrevive.
Fonte: http://www.techmestre.com/cabra-nasce-com-rosto-humano-no-ceara.html

Pinheiro - Mais um acidente envolvendo moto aconteceu hoje pela manhã na Rua Grande


Postado por Herasmo Leite.

Mais um acidente envolvendo moto aconteceu hoje pela manhã, na Rua Grande de Pinheiro, nas proximidades da Brasilojas. O fato ocorreu por volta das 10 horas.

Uma moto portanto equipamento de som foi atingida em cheio por um automóvel, dirigido por uma mulher.

 O condutor da moto, que é morador do povoado Bom Viver - Pinheiro, só não teve problemas mais sérios, porque a caixa de som acoplada na garupa da moto serviu como proteção.

O carro teve um dos faróis dianteiro quebrado. A moto não teve nenhuma avaria aparente. 

30 de agosto de 2013

Do Blog do Noblat: contradição que não pode prevalecer no caso Donadon, por Flávio Dino


 O Direito, como técnica de organização da vida social e de solução das controvérsias, busca permanentemente a superação de antinomias. Para isso servem os diversos métodos de interpretação jurídica, entre os quais está o método lógico.
A votação da Câmara, ao não atingir o quorum constitucional de deliberação para perda de mandato do deputado Donadon, conduz a resultado ilógico, destituído de razoabilidade. Basta indagar: é possível a um cidadão condenado criminalmente a regime fechado exercer um mandato parlamentar por telepatia ou por e-mail ?

 O sistema jurídico não possui lacunas absolutas. Sempre haverá uma regra jurídica aplicável, que supra o aparente vazio normativo. Assim, parece-me que há dois caminhos para a Câmara sair do labirinto em que, infelizmente, se meteu.

O primeiro, é considerar que neste caso não há preclusão consumativa, já que estamos diante de um ato administrativo discricionário ( e não de um ato integrante do processo legislativo). Ou seja, como não houve a formação de maioria absoluta, podem ser feitas novas votações, mediante provocação fundamentada de qualquer partido político representado no Congresso Nacional, repetindo-se o procedimento com ampla defesa.

Por simetria, é como se a votação – ao não atingir o quorum de maioria absoluta em qualquer dos sentidos – fosse equivalente a uma sentença que extingue o processo sem julgamento do mérito (não produzindo coisa julgada material). Há precedentes no Senado de repetição de votações, no caso da apreciação de nomes indicados a cargos que exigem aprovação parlamentar como condição de investidura.

Outro caminho está na incidência do artigo 55, inciso II, da Constituição. Afinal, é óbvio que um parlamentar condenado por crimes graves e a penas elevadas, recolhido a estabelecimento penal em regime fechado durante o mandato, incide em procedimento incompatível com o decoro parlamentar. Neste caso, não se debate o momento do cometimento dos crimes, e sim o instante do início da execução da pena em regime fechado como caracterizador da quebra de decoro.

Pode ter fato mais indecoroso do que um parlamentar impedido de modo absoluto de exercer suas funções, por estar em regime fechado em uma penitenciária?

Qualquer uma das soluções supera uma contradição fática que não pode prevalecer, e é mais compatível com o princípio da moralidade do que a concessão de licença a parlamentar em tão esdrúxula situação. Vale destacar: deputado licenciado, deputado é.

Flávio Dino, professor de Direito Constitucional (UFMA), Mestre em Direito Público (UFPE), foi juiz federal (1994-2006) e deputado federal (2007-2011), quando integrou a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Luis Fernando diz que estilo de trabalho dele é o mesmo de Roseana


O secretário de Infraestrutura, Luis Fernando Silva, pré-candidato do grupo Sarney ao Governo do Estado, disse ontem em entrevista à rádio Mirante AM que ele e a governadora Roseana Sarney têm a mesma forma de trabalhar (?).
De acordo com matéria divulgada na edição de hoje do jornal O Estado do Maranhão, o “estilo da governadora” é o mesmo dele. Como se Roseana tivesse como meta o trabalho.
Ao que se pode perceber, Luis Fernando incorporou de vez os métodos e atitudes da oligarquia Sarney ao longo dos anos como partícipe das administrações roseanistas em cargos estratégicos. A imagem de um bom técnico começa a ficar desfigurada.
Dizer que o seu estilo de trabalhar é igual o de Roseana, que no seu quarto mandato levou o Maranhão a ser um estado miserável e alcançar os piores indicadores sociais (piores IDHs, menor índice de esperança de vida, menor índice de desenvolvimento social, último colocado na distribuição de médicos), educação e segurança em patamares vergonhosos/alarmantes, é afirmar que ele, Luis Fernando, caso vença dará continuidade ao modelo atrasado de governar da oligarquia.
Não se sabe realmente se foi isso o que Luis Fernando quis dizer na entrevista à emissora da família Sarney, mas só confirma a tese já discutida por este blog de que uma vez LF ganhando a eleição de governador no próximo, infelizmente continuará o mesmo grupo que está aí no governo com  práticas retrógradas.

A lei da Cadela.



Trocadilho que rola na cidade.

Após o Governo do Estado  do Maranhão vincular,  no seu meio de comunicação, que acabou com a  Lei do Cão , os populares da cidade, principalmente os professores,  começaram a dizer que eles  acabaram com essa lei  por causa que prevalece agora  no Maranhão  a“ lei da Cadela”.


O secretário de insegurança do Maranhão ,Aluísio Mendes, finalmente assume que não tem condições de resolver os problema da falta de segurança no estado.


Marrapá
Em reunião com uma comitiva do município de Buriticupu, na manhã desta quinta-feira (29), o Secretário Aluísio Mendes afirmou que não consegue mais resolver os problemas da falta de segurança no Maranhão.

A comitiva, formada por conselheiros, estudantes, líderes de movimentos sociais, sindicais e moradores daquela cidade, procurou a Secretaria de Segurança Pública para cobrar explicações sobre a transferência do delegadoCarlos Alessandro para a delegacia regional de Bacabal, responsável por oito municípios.

O fato é que um policial militar assumiu a delegacia, e a população se queixa de maus tratos cometidos por algumas pessoas da atual gestão. Coisa de filme de faroeste! Nas alegações de Aluísio Mendes, o delegado foi transferido mediante necessidade, mas prometeu investigar os casos de maus tratos cometidos na delegacia. Falou ainda que providenciará concurso público para Polícia Militar, investigador e, para mais urgente, a transferência de efetivo, urgência essa com prazo para março de 2014. No final, atribuiu ao judiciário a culpa pela falta de treinamento de novos delegados. Promessas de palanque ou afirmações de menino buchudo?

Além da queixa, a comitiva apresentou as propostas tiradas de audiência pública, realizada no último dia 25 de julho, com tema: “Conflitos sociais e fragilidade das instituições no município”. Em seguida, protocolaram um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado em 24 de março de 2009 pela subjudice Roseana Sarney (PMDB), quando tomou o governo do saudoso Jackson Lago (PDT), e para mostrar serviço se comprometeu a aumentar o efetivo policial, o número de viaturas e delegados de carreira, além da construção da delegacia da polícia civil.

Conforme membros da comitiva, Aluísio afirmou que a Secretaria de Estado não tem condições de suprir as necessidades da população maranhense, tanto que já pensou em decretar estado de calamidade pública.

29 de agosto de 2013

Eu já Sabia !!!!!!!!!!



Agora lascou: a briga de Zé Arlindo com Luciano sobrou agora para o locutor de rádio Herasmo Leite.


Matéria retirada do Blog do Paulinho Castro

O ex deputado Penaldon Moreira expulsou os funcionário da prefeitura da sua TV em Santa Helena, a Band canal 7, que estava sendo usada pelo prefeito Lobato para se defender das armações e dos insultos da população da Perola do Tury.

Aliados dizem que foi por falta de acerto, Lobato ficou de acerta com Penaldon o uso do canal e passados quase 8 meses nunca disse nada.

Usando e abusando do canal, Lobato e sua turma deitavam e rolavam e não diziam nada para o dono que foi se irritando e determinou a expulsão de todos os funcionários de Lobato que estavam usando a sua TV.

E a decisão de Penaldon Moreira não ficou somente em Santa Helena, irritado com o aprendiz de locutor e por sinal péssimo locutor, Herasmo Leite, que se negava a falar mal de Zé Arlindo, com quem Herasmo é visto frequentemente almoçando no restaurante Veneza, Penaldon Moreira decidiu pela expulsão do ex. vereador derrotado e impedido pela lei de ser candidato.

 Herasmo expulso, não esperou por Zé Arlindo,  correu para se lamentar e pedir arrego ao deputado Otelino Neto que reúne o que há de pior na política de Pinheiro para conseguir alguns votos. Para muitos, um alivio, pois ninguém aguentava mais ouvir Herasmo, imitar Paulinho Castro, na tentativa de conseguir audiência.   

Opinião do Blog
O blog do Gregório Pereira lamenta muita a saída , ainda não confirmada, de  um dos melhores Blogueiros e radialista de Pinheiro da rádio de Penaldo, lamento ainda mais, que por causa de uma briga vamos perder outro comunicador Oposicionistas. 

Amanhã /Educadores da rede estadual farão paralisação para garantir seus direitos conquistados na última greve.



Aproveitando a paralisação que vai acontecer amanhã(30), nas ruas de todo o Brasil, o Sinproesemma convocou  os educadores para lutar pelo   cumprimento da pauta nacional do trabalhador, que inclui o fim das terceirizações, principalmente do serviço público, com relações de trabalho precárias, sem direitos previstos em lei.

O movimento é coordenado pelas Centrais Sindicais do Brasil e envolve diversos sindicatos de trabalhadores, filiados às centrais. Em São Luís, a mobilização acontece na parte da tarde do dia 30, a partir de uma concentração, às 15h, na Praça Deodoro, Centro.Em Pinheiro a concentração acontecerá na praça José Sarney pela manhã.

Os professores estarão nesse dia de paralisação por causa que o governo resolveu adiar o pagamento dos direitos dos trabalhadores, que estava previsto para ser efetuado neste mês de agosto.

Quanto às titulações e promoções, cujos pagamentos estavam previstos também para este mês, o governo também não cumpre a palavra e alega que os processos ainda estão em análise pela Secretaria de Estado de Gestão e Previdência (Segep). Diante disso, Fábio Gondim disse ao presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, que os pagamentos das titulações e promoções foram transferidos para o dia 10 de setembro, em folha suplementar.

Júlio Pinheiro rechaçou as justificativas do secretário para o não cumprimento dos prazos definidos em mesa de negociação. “Havia um entendimento sobre a concessão dos direitos para o mês de agosto, que deveria ser cumprido pelo governo”, critica o sindicalista.

Outro ponto que os dirigentes do Sinproesemma reivindicam são as regularização salarial dos contratos precários e também das horas extras trabalhadas por educadores que deveriam ser beneficiados com o direito da jornada extraclasse, prevista na Lei do Piso. Os técnicos da Segep responsabilizaram a equipe da Secretaria de Estado Educação (Seduc) pelos atrasos, porque não teriam informado à Segep da lista de servidores que estão trabalhando nesses regimes, o que inviabiliza, segundo Fábio Gondim, o pagamento dos trabalhadores.

 Segundo o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, o papel do sindicato é continuar cobrando o governo para que a situação seja resolvida e esperar para que o novo calendário de pagamentos dos retroativos da recomposição sejam cumpridos. “Seria o descrédito total para o governo, se novamente houver descumprimento de compromissos assumidos com a educação”, ressalta.

No Maranhão é assim: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come


 Por Ricarte Almeida Santos

Essa é a tragédia do povo maranhense.
Ficar em seu chão e morrer de forme, sem trabalho, sem terra, sem saúde, sem educação, vitimados pela opressão, pelo latifúndio, pela corrupção, pelo medo;
ou sair de seu chão pra cair na armadinha do trabalho forçado e/ou escravo em fazendas do Goiás, São Paulo, Pará, etc, ou ser vítima de grandes tragédias como esta que acaba de acometer trabalhadores maranhenses da construção civil em São Paulo.

E esta é a pior das violências, a pior das tragédias, o poder, a violência simbólica: invisível, mas fulminante. Com cara de simpatia e boa moça vai solidificando nas estruturas de pensamento de nossa gente, de maneira subliminar, a impotência, a desesperança, o medo. É a desgraça em vida para a morte!

Ah, Maranhão!! Até quando???

28 de agosto de 2013

Profissão Repórter desmonta farsa do Saúde é Vida


O Profissão Repórter, da Rede Globo, esteve nas cidades de Tutóia, Paulino Neves e Sucupira do Riachão para denunciar mais uma vez a farsa do programa Saúde é Vida.
Dos 72 hospitais prometidos pela governadora subjudice Roseana Sarney para o fim de 2010, apenas 23 foram inaugurados. Destes, a metade não funciona por irresponsabilidade do governo estadual, que entregou a administração deles para prefeituras que não têm condições de mantê-los funcionando, como é o caso das unidades de Lago do Junco, Benedito Leite e Tufilândia.
O jornalístico mostrou a precariedade do posto de saúde de Tutóia, cidade de 50 mil habitantes, que não possui nem aparelho de raio-x. Enquanto isso no município mais próximo, Paulino Neves, o hospital é todo equipado, mas não atende a população pela falta de recursos para a contratação de médicos e pessoal.
Em Sucupira do Riachão o hospital sequer funciona.
O repórter Victor Ferreira também denunciou o caso da médica Erlandia, obrigada a dar plantão de 52 horas para atender a demanda de pacientes da região de Tutóia.

Bira quer mudar o nome de Presidente Sarney para Pimenta


Do Blog MARRAPÁ

O deputado estadual Bira do Pindaré (PT) vai apresentar projeto de Lei na Assembleia Legislativa para alterar o nome do município de Presidente Sarney.
- Proponho e farei isso, através de projeto de Lei, a alteração do nome Presidente Sarney, para que volte a ser chamado de Pimenta, como é o nome original do povoado que era pertencente ao município de Pinheiro. É uma exigência da Constituição. – disse.
O parlamentar anunciou que também vai propor a mudança do nome de Governador Edison Lobão, para que volte a ser chamado Ribeirãozinho.
O Ministério Público Federal obteve na Justiça Federal uma liminar que suspende os repasses federais para o município, caso este não troque de nome em 90 dias.
De acordo com o MPF, batizar o município com o nome de um político ainda vivo – no caso, Edison Lobão – fere a Constituição Federal, que proíbe atribuir nome de pessoa viva a bem público.

Município de Governador Edson Lobão tem 90 dias para trocar de nome.

Do G1 MA
Uma decisão da Justiça Federal obrigou a União a suspender os repasses de verbas federais ao município de Governador Edison Lobão, caso o nome da cidade não seja alterado dentro de 90 dias.

A decisão é fruto de ação civil pública movida contra o município, a União e o Estado do Maranhão, com o objetivo de alterar o nome da cidade. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, a lei que denominou o município desrespeita a Constituição Federal por carregar o nome de importante político da região, ainda vivo.

Na decisão, a Justiça determina que a União suspenda, dentro de 90 dias, a realização de qualquer transferência voluntária de recursos federais – com exceção das transferências que são destinadas a ações na saúde, educação e assistência social -, caso o nome do município não seja alterado.

Na ação, o MPF argumenta que o batismo de um município com o nome de um ex-governador do Estado do Maranhão, e que atualmente ocupa o cargo de Ministro de Minas e Energia, cria uma forte pessoalização da coisa pública, causando a identificação do político de maneira intrínseca à própria população. “A lei estadual nº 6.194/94, ao criar o município de Governador Edison Lobão e nominando-o com o nome de um importante político da região, ainda vivo, é notoriamente contrária ao republicanismo e ao princípio da impessoalidade, sendo evidente a sua inconstitucionalidade”, escreveu o procurador da República Paulo Sérgio Ferreira Filho.

Conforme a Lei nº 6.454/77, que dispõe sobre a denominação de logradouros, obras serviços e monumentos públicos, é proibido, em todo o território nacional, atribuir nome de pessoa viva a bem público, de qualquer natureza, pertencente à União ou às pessoas jurídicas da administração indireta.

As proibições desta Lei são aplicáveis às entidades que, a qualquer título, recebam auxílio dos cofres públicos federais e, em caso de infração, acarreta na suspensão do recurso. Porém, segundo apontado pela Controladoria Geral da União (CGU), o município tem recebido, de forma regular, repasses de verbas voluntárias da União, e não existe, até o momento, nenhum procedimento visando o bloqueio dos repasses.

G1 entrou em contato com a assessoria do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para apurar a opinião do próprio ministro sobre a decisão, mas até o momento não obteve retorno.

Município de Governador Edison Lobão
O município foi instituído pela Lei Estadual do Maranhão nº 6.194, de 10 de novembro de 1994, sancionada pelo vice-governador do Maranhão, José Ribamar Fiquene, no período em que Edison Lobão renunciou ao cargo de governador do estado para concorrer ao Senado Federal.

Minha Opinião!
A cidade de Presidente Sarney também tem que receber outro nome, pois  é batizado com o nome de um ex-presidente da Republica  que atua como  Senador no estado do Amapá atualmente , dá mesma maneira  que cria uma forte pessoalização da coisa pública, causando a identificação do político de maneira intrínseca à própria população em Governador Edison Lobão , cria também na Cidade de Presidente Sarney , pois Sarney é um forte político não só no Maranhão, mas sim em todo o país , ainda vivo.

Esperamos que seja somente uma questão de tempo para que os Sarneyenses ganhem um novo adjetivo pátrio, da mesma forma que os edison-lobenses  vão  ganhar. 


27 de agosto de 2013

Roseana e seu labirinto.


Por José Reinaldo Tavares
Acostumada a mandar sem contestação, aproveitando a força do pai, Roseana está sem saber como resolver os grandes problemas políticos que tem pela frente. Convenhamos, a situação é cada vez mais difícil e ela não tem experiência e nem preparo para enfrentar o que há por vir. Sem falar na ausência (esperamos que logo se recupere) do pai, que é quem enfrenta os problemas e conduz o grupo.
Não bastasse o pedido de cassação feito pelo procurador-geral da República, denunciando-a por graves mal-feitos na última eleição aos persistentes resultados das pesquisas eleitorais, que têm mostrado Flávio Dino acima de 60% e o candidato Luís Fernando amarrado aos 15%, agora ela também está perdendo para mim e para Roberto Rocha para o senado, com o agravante de eu não fazer campanha nenhuma, não estou viajando para o interior do estado, enquanto ela viaja todas as semanas, visitando diversos municípios de cada vez, prometendo mundos e fundos à população, aliás, como de costume. 
Some-se a isto a decisão de não admitir entregar o governo para o vice-governador quando tiver que sair para se desincompatibilizar, e pior que tudo, não admitindo a hipótese de entregar ao senador Edison Lobão o comando do que restar do grupo Sarney depois das eleições de 2014.
Isso é uma questão tão fechada, dentro do cerne íntimo do grupo, que certamente a obrigará a sair do governo e ser candidata ao senado no ano que vem. Entregar para a família Lobão nem pensar.
De fato, isso é o que acontecerá, se ela não sair candidata, pois Lobão se tornará o político mais forte do grupo, exercendo o cargo de Ministro do poderoso Ministério de Minas e Energia, e ainda com quatro anos de mandato como senador do PMDB, lugar ocupado nesse momento por seu filho. Os Sarneys então ficarão reduzidos ao mandato de Sarney Filho como deputado federal, muito pouco para quem deteve tanto poder.
Mas e o processo de cassação? Se for julgado neste ano e ela condenada? Neste caso ela perderá o governo, quase imediatamente e deverá ficar inelegível. Para concorrer à eleição, ela poderá questionar a sua inelegibilidade no Supremo e poderá concorrer sub judice, o que a enfraquecerá ainda mais como candidata.
Já fora do governo, derrotada pela Justiça, isso poderá ser mortal para um grupo tão poderoso acostumado a demonstrar poder. E isto ainda poderá se agravar, se o senador Sarney não for candidato, pois grande parte do grupo respeita e gosta do senador e não dela e de Jorge Murad. Com efeito, será que o grupo se manterá fiel a ela e a apoiará na empreitada? Ou abandonarão o barco sarneysista ao interpretar que terão diminuída expectativa de poder? Sem dúvidas isso enfraquecerá muito sua candidatura ao senado, já bastante combalida atualmente.
E considerando outra hipótese: se Roseana renunciasse junto com seu vice? Se isso livrá-la do julgamento do TSE, permitirá a sua candidatura ao Senado. Contudo, hoje já existem precedentes judiciais que tratam de renúncia com o fim específico de se livrar do julgamento, observando que, se essa for a causa da renúncia, o julgamento prosseguirá e a hipótese de inelegibilidade se mantém. Mas supondo que o julgamento não prossiga, ela então manterá seus direitos políticos e poderá se candidatar. É claro que isso terá graves consequências políticas, pois será considerada confissão de culpa pela população e uma fuga à condenação no julgamento, o que enfraqueceria muito sua candidatura.
Agora vejam se esta situação é ou não é um terrível labirinto em que Roseana se debate e tem imensas dificuldades de achar uma saída segura, para si e para o grupo Sarney.
Nervosa e insegura nos ‘Itinerantes de toda a semana’, ela tem criado atritos em muitos lugares e perdido apoios, em que pesem as promessas que faz em todos os lugares, como sempre.
Vejam o que me enviou um amigo que assistiu e participou de visita que ela fez a Mirinzal semana passada:
“Meu bom amigo, ontem a governadora esteve em Mirinzal e fez o de costume: promessa de construir a ponte sobre o Pericumã e a estrada de Bequimão para Central, asfalto pra prefeituras e convênios. Porém, o que chamou atenção foi que, ao ver faixas de alunos do ensino médio sobre a escola inacabada desde o governo anterior, falou que por ela já estaria concluída e o problema estaria no Ministério Público acusando Brasil, o ex-prefeito, do problema. Quando ela foi a casa dele fazer a visita, este se queixou e ela se retratou, dizendo que se referia ao governo de Jackson Lago. Na realidade o que ocorreu foi que a obra se iniciou no final do governo de Jackson em convênio com a prefeitura. Foi liberado um montante em torno de 60% do valor total e diz Brasil que fez o correspondente, mas que, embora o dinheiro tivesse empenhado, não conseguiu que o governo dela pagasse o restante. Assim, ele resolveu entregar a obra de volta para o estado e se tornou mais uma prova da irresponsabilidade dos mandatários da educação do Maranhão. Acho até que o Jornal Pequeno poderia mandar fotografar a obra e pedir a Brasil a explicação do problema. Quem sabe até obter umas palavras dos estudantes prejudicados?
Disse também na casa de Brasil, na presença de vários ex-prefeitos, que numa pesquisa que fez, eles estão melhores que os atuais e ela precisa por isso do apoio deles, o que será decisivo na campanha. Creio inclusive que acharam alguma solução para aquela história do conselho (bolsa eleição) e devem ter achado um jeito de repassar alguma coisa mensal pra eles através de alguma instituição conveniada ou coisa que o valha. É bom ver.
Por outro lado, pra ter alguém pra escutá-la, (o prefeito) leva um monte de servidores temporários e no dia em que ela vai, tudo é de graça. Disse lá que não é mentirosa e que isso aprendeu com o pai (rárárárá), falar sempre a verdade, além de não se meter em confusão dos outros. Belos conselhos. Isso motivou umas vaias de alguns estudantes. No caso da ponte, creio que vão fazer o mesmo que fizeram com a refinaria. Fazem licitação de araque, mandam máquinas, enfiam duas estacas e está iniciada a obra…”
É preciso acrescentar mais alguma coisa?

O que Adriano Sarney herdará ?



O economista Adriano Sarney, neto do senador José Sarney, foi citado em matéria da Revista Época desta semana. Na reportagem, Adriano é acusado de fazer parte de um esquema organizado por emissários do PMDB, que cobravam propinas para conseguir que determinadas empresas ganhassem licitações na Petrobras.

Segundo a Revista Época, Adriano Sarney, o lobista Felipe Diniz e o advogado Bruno Queiroga, intermediavam negócios junto ao governo federal. Suas ações eram tão escancaradas que os três seriam conhecidos na capital federal como “os maluquinhos”.

Fui ouvir o que Adriano Sarney tinha a dizer sobre o episódio. Imaginei que se fosse o caso de uma falsa acusação, o neto do senador Sarney estaria tomado pela natural indignação dos inocentes.

Mas, numa curta resposta sobre o episódio, Adriano se limitou a dizer que a matéria é baseada em fofocas e que ele não fora sequer ouvido pela revista.

Nem mesmo em sua página pessoal no Twitter, Adriano se dignou a desmentir convincentemente as graves acusações feitas pela revista de circulação nacional. Limitou-se a dizer apenas que os jornalistas do periódico são mal-intencionados.

Reação semelhante ocorreu em 2009. Adriano Sarney foi acusado pela mídia nacional de intermediar empréstimos consignados entre seis instituições financeiras e os servidores do Senado Federal, justamente na época em que o avô presidia a casa. Na época, Adriano também não se deu ao trabalho de dar maiores esclarecimentos sobre o escândalo que quase custou o mandato do senador José Sarney.

Ano passado, o Jornal Folha de São Paulo denunciou que Adriano estava em situação irregular quando pretendia concorrer à prefeitura de Paço do Lumiar. Havia indícios de que o economista fraudara uma conta de luz da Cemar para comprovar que possuía domicílio na cidade.

Outra vez, sem maiores explicações, Adriano retirou a candidatura e sumiu na nuvem de poeira do esquecimento.
Após quase 60 anos da primeira eleição disputada por José Sarney no Maranhão, é natural e justo que Adriano queira ser herdeiro político do grupo. Com a segunda geração da família envelhecida e desgastada, ele tem todo o direito de pleitear cargos públicos para tentar manter o poderio do grupo familiar ao qual pertence.

Todo o problema de Adriano Sarney reside no fato de que o neto do Senador Sarney quer construir a imagem da renovação na política, vendendo a ideia do jovem empreendedor de ideias inovadoras, formação intelectual e reputação ilibada.
Não dá.

Com o histórico recheado de denúncias envolvendo lobby, propina e fraude, a única herança que Adriano Sarney receberá será a continuidade histórica de escândalos intermináveis que envolvem a mais longeva oligarquia do Brasil contemporâneo.

 Lígia Teixeira Historiadora escreve para o Jornal Pequeno às sextas-feiras.

O que fazer para melhorar o IDH do Maranhão ?

Publicado em 09/ago/2013 NO SITE DO SINPROESEMMA
Por Flávio Dino
Realizei mais um diálogo pela internet com centenas de pessoas, contando com a especial participação de blogueiros do nosso estado. Foi uma experiência muito enriquecedora, em que pudemos conversar por horas a respeito da atual situação do Maranhão. É sempre bom escutar e trocar ideias com a população, e para mim é uma grande oportunidade de aprendizado. Um dos principais temas debatidos foi o IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, divulgado na última segunda-feira pelo IPEA, órgão do governo federal, por intermédio do excelente Atlas do Desenvolvimento Humano.

Dói na alma ver mais uma vez que o Maranhão, tão belo e rico, não consegue garantir condições dignas de vida para povo que nele vive, por conta de um modelo que se apropria e desvia os recursos públicos para o proveito de uma minoria de privilegiados e protegidos.

O Índice de Desenvolvimento Humano do Maranhão segue em penúltimo lugar no Brasil, com 0,639, praticamente empatado com Alagoas (0,631), e atrás de todos os nossos vizinhos. Para se ter uma ideia, o primeiro lugar é o Distrito Federal com 0,824. Em renda, o Maranhão fica em último lugar, com índice de 0,612. A mortalidade infantil no Brasil é de 16 por mil, enquanto no Maranhão é de 28 por mil. Das 100 cidades com pior IDH do Brasil, 20 são do Maranhão. Das 100 cidades com melhor IDH, nenhuma é maranhense. Aqui poderia preencher todo o espaço reservado a este artigo com uma sequência interminável, indecente e inaceitável de números que traduzem a situação de pobreza do Maranhão, se comparado ao restante do país.

Após uma década de Bolsa Família, a extrema pobreza caiu no país e, hoje, atinge 6% dos brasileiros. No Maranhão, apesar de todos os recursos para combate à pobreza, das políticas de transferência de renda e do aumento do salário mínimo – todas políticas federais –, 22% da população vive em extrema pobreza! Ou seja, um em cada cinco maranhenses sobrevive com menos de R$ 70 por mês! É inacreditável que os poucos que se beneficiam da situação não cheguem a se incomodar ao saber que o sistema que mantêm provoca tanta miséria.

E o que fazer? A resposta está no terreno da política. Vejamos o exemplo de nosso vizinho Ceará, que nas últimas três décadas já trocou de comando político por várias vezes. Pois vejamos os resultados.

 Durante toda a ditadura militar até o fim dos anos 80, o Ceará foi governado por uma oligarquia dos “coronéis”. Em 1991, ocupava o 4º lugar do IDH do Nordeste.  Agora, depois de vivenciar a salutar alternância no poder, o Ceará ocupa o 2º melhor posto do Nordeste.

Enquanto isso, e o Maranhão? Pois nós continuamos ocupando, de 1991 até hoje, a penúltima posição. Não do Nordeste, mas do Brasil! O que acontece de tão diferente 250 quilômetros a leste de nosso estado? O solo cearense é mais fértil? Os empresários são mais competentes? As pessoas trabalham mais? As paisagens são mais inspiradoras? Não!

O que aconteceu com o Ceará é que as mudanças políticas no estado mexeram com a qualidade do governo. Naturalmente, um grupo político quer fazer melhor do que o outro, gerando mais resultados concretos para a população. No Maranhão, desde o começo da ditadura militar, o mesmo grupo permanece no poder. O resultado do imobilismo na política é traduzido matematicamente por nossa estagnação nas últimas posições do IDH nacional.

Por tudo isso, defendo a mudança e a renovação política no Maranhão. Não tenho nenhum ódio pessoal ou rancor em relação ao passado, apenas acredito que precisamos virar essa página. O convite que faço é para que olhemos para o futuro, com confiança e esperança. Dias melhores virão.

Flávio Dino, 45 anos, é presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), foi deputado federal e juiz federal

26 de agosto de 2013

Estão usando minhas matérias e não estão me dando os créditos.


A algumas semanas estou percebendo que um  certo companheiro meu de profissão está copiando minhas matérias, colocando em seu blog , e não está me dando os devidos créditos de produção.

Por mais que  modifiquem  algumas coisas,  mas sempre coloquem da onde tiraram as informações, pelos menos , é o que eu faço.

O Blogueiro Vandoval Rodrigues, o melhor de Pinheiro,  usou essas duas matérias , modificou , mas colocou dá onde tirou as informações , enquanto esse outro amigo de profissão copia e modifica as matérias,  mas  esquece do principal que é colocar da onde saiu as informações.

As matérias a qual estou me referindo são sobre a Colisão do Vereador Lucas do Beiradão com uma POP (Veja aqui)  e a outra fala sobre um acidente na estrada Pinheiro a Pedro do Rosário(Veja  aqui) cliquem nos links e comprovem que as informações são minhas.  

Não sou contra que alguém copie as minhas matérias, pelo contrario , sou a favor da divulgação de informação , mas espero que quando compartilhem meus trabalhos , pelo menos  coloquem de onde veio , pois não tem graça pegar uma coisa já pronta dos outros e ainda levar os créditos.

O blogueiro a qual estou me referindo é um dos melhores radialistas de Pinheiro, Herasmo Leite , a qual também compartilho as suas ideias e matérias (sempre coloco os créditos ao companheiro), e pelo visto, ele também compartilha as minhas .

Reclamações de estudantes à governadora colocam em xeque o programa “Escola Viva”


Do site Maranhão da Gente

Programa foi anunciado  em 2009  como a redenção do sistema educacional maranhense  e tinha  o objetivo de construir 110 escolas.

Quis um capricho do destino, que quatro anos após anunciar o que definiu como um programa destinado a “reconstruir a educação no Maranhão”, a governadora Roseana Sarney(PMDB) enfrente situação “incômoda” pela segunda vez durante eventos realizados no governo itinerante, recebendo manifestações de descontentamento dos estudantes como ocorreu na semana passada em Mirinzal.
Há quatro anos em badalada solenidade no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, que reuniu prefeitos e diversos integrantes do primeiro escalão do governo, a peemedebista, que acabara de assumir o posto de governadora, iniciando o terceiro mandato, após a cassação de Jackson Lago,(PDT) anunciou investimento de R$ 100 milhões no programa Escola Viva que tinha metas audaciosas.

A lista de objetivos anunciada pelo programa incluía a recuperação 186 escolas em 48 municípios; construção de 110 escolas (total de 681 novas salas de aula), em 105 municípios; e 22 escolas indígenas (38 salas de aula) em cinco municípios.

Além disso, foram anunciadas ainda como metas do programa a construção de três Centros Experimentais (Procentros), situados em Codó, Imperatriz e São Luís e também a construção de Centros de Formação em 18 sedes das Unidades Regionais, além de 49 bibliotecas escolares “Faróis da Educação” em 44 municípios.

Em Mirinzal, onde alunos fizeram protestos na passagem do governo itinerante pela cidade, a escola de ensino médio Euclides Ribeiro não possui biblioteca e a construção do novo prédio, onde ela devia estar funcionando até agora não foi concluída.

Inclusive, em 2011, os estudantes já haviam feito passeata pelas ruas da cidade alertando para a situação da escola, cuja realidade contradiz o discurso proferido na época do lançamento do programa pelo então Secretario de Educação, Cesar Pires, que na ocasião, garantiu entre as metas prioritárias do “Escola Viva” o investimento “no qualitativo” para atender “as reais necessidades da sociedade”.

CÂMARA DE VEREADOR... LUGAR DE PARTIDA!

Imagem do Dia.

Começam bem! Não fazem invejas a nenhum outro representante do Legislativo ou até mesmo do Executivo. Lá esta transformada em verdadeiros redutos do ilícito ORGANIZADO!

Se falta dinheiro para pagar melhor os professores e outro servidores públicos desta cidade. Sobrou dinheiro e faltou VERGONHA NA CARA de alguns Vereadores deste município...

Os senhores (as) precisam tomar conhecimento da barbárie que foi e esta sendo feito com o DINHEIRO DO POVO, nós últimos (6) seis anos desta casa. Principalmente com a “FOLHA DE PAGAMENTO E MANUTENÇÃO DA CASA".

Vale relembrar nesse momento que, a Câmara possui apenas 15 Vereadores. Que, só FUNCIONAM DOIS DIAS da semana!

ONDE FICA O RESPEITO À POPULAÇÃO?

União da oposição: é preciso maturidade e deixar vaidades para vencer grupo Sarney


Matéria do Blog John Cutrim
O deputado federal Simplício Araújo (PPS) reforçou, neste final de semana, o sentimento de união que começa a contagiar a oposição maranhense.

Ao participar de mais uma etapa do movimento ‘Diálogos pelo Maranhão’, com a presença do presidente da Embratur, Flávio Dino, nos municípios de São Domingos do Maranhão, Tuntum e Presidente Dutra, Araújo ressaltou a importância de a oposição do Maranhão não cair nas reiteradas armadilhas do grupo Sarney. “O jogo de intrigas, de fomento da desunião da oposição, sempre foi um fator preponderante para as vitórias, embora questionadas, do grupo Sarney. Tudo isso se repete agora, quando o grupo se utiliza de sua poderosa mídia para tentar dividir a oposição.
Precisamos de maturidade política, precisamos deixar as vaidades de lado, e, acima de tudo, precisamos nos conscientizar de que temos um inimigo em comum, para vencer essa batalha”, disse Simplício.
Integrante da comitiva do presidente da Embratur, Simplício Araújo participou das sessões solenes em que Flávio Dino foi homenageado com títulos de cidadão nos municípios de São Domingos e Tuntum. As solenidades aconteceram na noite de sexta-feira (23), reunindo centenas de pessoas nas duas cidades.
Em discurso empolgante, Flávio Dino destacou a importância desse momento para o Maranhão. “Este é um momento especial, para que possamos dar um fim à política do medo e para colocar no lugar dela a política das ideias, do trabalho, da esperança e da união”, afirmou Flávio Dino no pronunciamento em que agradeceu à população de São Domingos do Maranhão a homenagem que lhe foi concedida.
Partícipe da solenidade, o prefeito Kleber Andrade (PP), de São Domingos, agradeceu o apoio que Flávio Dino deu à cidade durante o exercício do mandato de deputado federal. “São Domingos conta hoje com mais duas creches, uma Praça da Juventude, com espaço para prática de 10 diferentes tipos de esporte, e uma piscina semiolímpica utilizada por alunos matriculados no sistema de educação municipal, tudo isso graças às emendas destinadas por Flávio Dino quando ainda exercia o mandato de deputado”.