31 de julho de 2015

PATETICE DO DIA : Tentativa de aproximação com o Governo do Estado.



Calote de Roseana Sarney prejudica prefeitos

O calote dado pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) tem causado enormes transtornos aos prefeitos maranhenses. Roseana deixou um rombo bilionário de R$ 1,1 bilhão em dívidas e não fez previsão orçamentária de vários compromissos, incluindo os recursos para pagamento de convênios com as prefeituras. O problema tem tirado o sono dos prefeitos que foram penalizados ao longo dos anos com vários engodos do grupo Sarney.
Além da gestão de Roseana não ter deixado dinheiro em caixa para o pagamento dos convênios com os municípios, os prefeitos também foram enganados pelo cunhado da ex-governadora, Ricardo Murad, com a promessa de hospitais para atendimento da população. A Secretaria de Saúde que foi comandada por Ricardo Murad não entregou todas as unidades de saúde prometidas e as que foram construídos tem apenas 20 leitos e por isso não recebem verba do Governo Federal, ou seja, a conta ficou para as prefeituras.
O desrespeito da antiga gestão com as finanças do Governo do Estado não poupou nem mesmo os servidores. Um rombo milionário de quase R$ 104 milhões foi feito nas contas estaduais com as chamadas consignações de depósitos, que são recursos para pagar contribuições previdenciárias, pensões alimentícias, empréstimos consignados e contribuições associativas. Somente para o Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa), o rombo foi de R$ 75 milhões.
Outro calote feito na gestão Roseana foi o pagamento de precatórios. Além da denúncia de cobrança de propina para antecipação do pagamento à Constran envolvendo a ex-governadora e o ex-secretário da Casa Civil, João Abreu, os precatórios judiciais estão atrasados desde 2012, mesmo aqueles precatórios preferenciais e alimentares.
Ao deixar o Governo do Estado, a gestão da ex-governadora também deixou pendente as contas de energia, as faturas estavam atrasadas e a empresa ameaçava cortar a energia de prédios públicos. Como perguntar não ofende, onde foi parar todo esse dinheiro do calote?

DO MARRAPÁ

29 de julho de 2015

Luciano Genésio vai disputar prefeitura de Pinheiro pelo PSDB


O suplente de Deputado estadual e Superintendente de Articulação Política Regional do governo Flávio Dino, Luciano Genésio, encaminhou os últimos detalhes de sua filiação no PSDB nesta quarta-feira 29/07, durante reunião em São Luís.

O encontro aconteceu na residência do vice-governador, presidente estadual da sigla Carlos Brandão. Ficou definido que o ato de recepção do novo tucano acontecerá no próximo dia 21 de agosto no Salão dos Padres, bairro São José em Pinheiro.

A Genésio também foi incumbido a missão de coordenar os caminhos do partido em todos os municípios da baixada maranhense.

O pré-candidato a prefeito anunciou com muito entusiamo o ingresso no ninho tucano:“Recebi o convite e aceitei para filiar no partido que faz parte da base de apoio do governador Flávio Dino e de grande importância no país e em nosso estado “, justificou.

Luciano explicou ainda que tudo na política tem seu tempo determinado, que as movimentações em torno da eleição de 2016 em seu município estão seguindo o desenrolar natural. “Tudo está caminhando conforme previsto, tenho recebido espontâneas manifestações de apoio de importante lideranças e partidos políticos, algo que nos estimula bastantes”, afirmou ao titular do blog.

Em comunicado público, intitulado “PSDB de Pinheiro tem vez e voz”, o vice-presidente local da legenda, Fred Lobato, falou sobre a chegada do novo filiado. Disse que a sigla preza por menos diferença entre as classes sociais, e no município não será diferente, buscará a união das oposições em torno do nome de Luciano Genésio, jovem expoente politico, que ao longo da sua história sempre pautou e se identificou com as ideias da social democracia.

“Nosso pré-candidato lidera todas as pesquisas de intenção de voto. Nós vamos reorganizar e substituir esse absurdo e nefasto aparelhamento que encontra-se hoje a máquina pública, gerando ineficiência. Vamos fazer com que a Cidade volte a apresentar resultados, vamos permitir que a previsibilidade possa nos aproximar de um horizonte mais tranquilo em relação aos indicadores econômicos”, disse Lobato.


Do Domingos Costa


Deputado desagregador e o jogo de "culiada"


Por: Willian Redondo
 Lembro-me do tempo de infância onde a molecada faziam o  jogo de ‘culiada,’ que consistia em dois ou mais se juntarem para ganhar dos  outros as petecas ou bola de gude como é conhecida em outros lugares.

Bom, ao que parece estamos vivenciando isso novamente, desta vez na política, anunciada recentemente a adesão a pré candidatura  do medico paraibano Leonardo Sá,  O PTB, do deputado federal Pedro Fernandes, e o PR do deputado Josimar de Maranhãozinho.

Mas vamos ao que interessa: Esses dois partidos que hoje dizem vim somar com a capenga pré candidatura Leonardo Sá,  foram “doados” pelo prefeito Filuca, as ultimas provisórias desses partidos estavam nos nomes da esposa, e da mãe do prefeito, que vendo o isolamento da candidatura abençoada pelo deputado desagregador, teria feito esse ato de “bondade” , de amizade. Consultando os bastidores políticos, ninguém tem mais duvida da aproximação do prefeito com esse novo grupo, e dizem mais o próprio PDT poderá indicar o nome da esposa do deputado para ser vice na chapa do prefeito Filuca. O certo é que estariam trabalhando para lançar o maior numero de candidatos tendo como maior beneficiário o prefeito é claro.

Esses laços de amizade começaram quando Filuca trouxe para Pinheiro o medico Leonardo Sá, pelas mãos da filha e sacramentado  na ultima eleição onde desta vez o filho fez varias dobradinhas com deputado desagregador.

E como diz o caboclo: "onde a fumaça a fogo"... como vão justificar que a esposa do prefeito que tinha a provisória do PR , estava filiada no PDT até 2013?

"Prefeito de Pinheiro está a 3 meses sem pagar funcionários da área da saúde" diz internauta.


 A crescente onda de denúncias, pelas redes sociais, de que os funcionários - contratados e concursados - da prefeitura  municipal de Pinheiro estão com seus salários atrasados, aumentam a cada dia.


Na tarde de ontem (29), Cristiane Estrela denunciou, na sua página do Facebook, que a prefeitura de Pinheiro está a três meses sem pagar os funcionários da saúde. E que quando o prefeito é questionado sobre isso, diz que está tudo sobre controle, só não se sabe de quem.

Três meses sem pagamento ? Isso é de se espantar, pois até o dia de hoje já foram destinados mais de 4 milhões apenas para o TETO Mac ( Atenção a saúde da população para procedimento de média e alta complexidade). Fora os outros programas que recebem seus próprios recursos. Será que esse total não é o suficiente para pagar os funcionários? Para onde está indo este dinheiro?  em que está sendo empregado?

"Prefeito de Pinheiro está a 3 meses sem pagar alguns funcionários da área de saúde, e só fica falando que está tudo sobre controle. gora eu pergunto, Sob o controle de quem mesmo? Ou ele pensa que essas pessoas não tem várias outras coisas para pagar. Isso é uma humilhação muito grande... quero saber cadê o dinheiro que deveria ser pago para esses funcionários , pois se estão trabalhando é porque precisam receber e recebem direito" disse a internauta.

28 de julho de 2015

Pinheiro: Suplente de vereador “Arbininho” e mais um pulo de Canguru Australiano.

O suplente de vereador, José Albinho Costa Araujo “Albininho” já é considerado o Canguru Australiano da política de Pinheiro. Sempre oportunista o Albininho pula bem.

Em 2008 Albinho foi candidato a vereador, ao lado do prefeito Filuca Mendes, pelo (PMDB), obtendo uma expressiva votação, não conseguiu se eleger, mas conseguiu suas benesses pelo fato de estar ao lado do prefeito eleito na época.

Já nas eleições de 2012, logo após a afamada traição do ex-prefeito Zé Arlindo, o suplente de vereador, mudou de lado aliando-se ao grupo político que foi derrotado pelo prefeito Filuca. Albininho concorreu as eleições de 2012 ao lado do ex-prefeito Zé Arlindo pelo (PSB) obtendo 756 votos, ficando como primeiro suplente na coligação “União e Liberdade”.

Passadas as eleições de 2012, onde Filuca Mendes, saiu vencedor nas urnas, o suplente de vereador não perdeu a oportunidade e logos nos primeiros meses de 2013, início da gestão Filuca, Albininho era visto constantemente nos corredores da prefeitura e secretarias municipais e mais uma vez foi recebido pelo grupo Filuca Mendes, e recebeu lá seus benefícios chegando a emplacar alguns parentes nos quadros do município.

Mudando de lado como camaleão muda de cor, e pulando mais do que Canguru Australiano, Albinho já teria firmado um acordo com o pré-candidato a prefeito de Pinheiro, Dr. Leonardo Sá (PDT) para as eleições de 2016.

Leonardo vereador de segundo mandato, se licenciou por 45 dias do legislativo, e de acordo com informações que chagam ao titular do blog, se afastará em definitivo, como parte de um acordo firmado com o suplente de vereador Albino.

Cumprindo com os acertos, e já mostrando fidelidade ao “novo” grupo político aderido. No último domingo(26), Albininho  reuniu, suas bases eleitorais no povoado coco, Zona Rural de Pinheiro, já acompanhado de uma caravana de entusiastas da pré-candidatura de Leonardo Sá a prefeito de Pinheiro, anunciou ao seu eleitorado, o rumo que tomará nas eleições do ano que vem.

Com a aliança firmada com Leonardo Sá, Albininho ganha 18 meses de mandato no legislativo pinheirense, e buscará sua reeleição ao lado do seu novo grupo político.

Depois das eleições de 2016, Filuca e Luciano te esperam!


Do Vandoval Rodrigues

27 de julho de 2015

Othelino Neto: Político mal visto pelos pinheirenses.



A cidade de Pinheiro, situada na baixada ocidental maranhense, possui, aproximadamente, cerca de 54.972 (cinqüenta e quatro mil, novecentos e setenta e dois) eleitores e vem demonstrando com toda a sua força que não admite candidatos "importados", como opção de voto.

No pleito de 2014, cerca de 231 candidatos a Deputado Estadual, do Maranhão inteiro, receberam alguma parcela dos votos  deste município, mas só alguns se sobressaíram dos demais. Luciano Genésio(SDD), filho da terra, obteve só em Pinheiro 12.917 ( doze mil, novecentos e dezessete) votos sendo o mais votado entre todos, possuindo apenas um vereador ao seu lado e sem bancar uma campanha milionária como de seus concorrentes.

Todavia, houve um candidato "importado" pelo clã Mendista que obteve uma parcela pequena, mas significativa dos votos. O Deputado Max Barros (PMDB) conseguiu a façanha de ter 3.774 (três mil, setecentos e setenta e quatro)  votos.Tal feito só foi possível porque Max tinha o apoio do atual prefeito, Filuca Mendes (PMDB), de Victor Mendes (PV) que na época era Dep. Estadual e de uma boa parte dos 8 vereadores de situação da cidade.   
Só apenas uma candidatura foi desastrosa. A do Dep. Estadual Othelino Neto (PCdoB) que mesmo conseguindo o apoio do ex-prefeito Zé Arlindo(PSB) e de quatro vereadores da cidade, não conseguiu passar o resultado de ínfimos 1.269( Mil, duzentos e sessenta e nove) votos. Menos votos até do que o já morto, politicamente, Tonny Ferreira (PSL) que conseguiu 2.905 (Dois mil, novecentos e cinco) votos.

Trouxeram até Flavio Dino(PCdoB) na época, para ver se dava uma alavancada na candidatura, mas fizeram o governador passar vergonha em um evento patético e sem a presença da população.  

Neto é hoje o responsável pela articulação do PCdoB na baixada e a "menina dos seus olhos" é a candidatura de Leonardo Sá (PCdoB) na cidade, mas o Dep. se esqueceu que é rejeitado pela população. Prova disso foi o seu recente fracasso.  

Todo esse histórico só mostra que o  galês não tem direito algum de ser o representante do governo do estado em nada que venha para está cidade. Afinal, ele passou foi vergonha aqui.
 
  



Luciano Genésio denuncia obra inacabada em Urucuzal, Pinheiro



Luciano Genésio(SDD) e o Vereador Lucas do beiradão (PDT)
O Superintendente Regional de Articulação Política da Baixada, Luciano Genésio (SDD), esteve neste final de semana no povoado Urucuzal, região do Gama, e deparou-se com mais uma obra inacabada do Prefeito Filuca.

Trata-se de uma escola de Educação Infantil, que está sendo feita pelo governo federal, em parceria coma prefeitura. Segundo uma placa afixada em frente ao canteiro de obras, a escola custou ao erário publico mais de R$ 1 milhão de reais e deveria ter sido entregue  a população no último dia 15 de janeiro. 

"O abandona dessa obra está prejudicando a população de Urucuzal e povoados próximos,  deixando quase 250 crianças sem esperanças de dias melhores. Os prazos para a entrega da escola já estão vencidos e a empresa responsável já foi embora.  Mais garanto que continuaremos lutando para trazer esta esperança de volta!!! PINHEIRO MERECE MAIS" disse Luciano ..

Do Herasmo Leite

26 de julho de 2015

Pedrinhas: detentos atacam seguranças a pedradas

SÃO LUÍS - Um grupo de detentos provocou um tumulto por volta das 18h desse sábado (25), na Penitenciária de Pedrinhas. De acordo com a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), a confusão foi motivada por indisciplina de alguns presos do Bloco F2.
A equipe de segurança do presídio foi atacada pelos detentos a pedradas. Leia, abaixo, a nota da Sejap:
Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informa que houve princípio de tumulto por volta das 18h, deste sábado (25), na Penitenciária de Pedrinhas (PP), motivado por indisciplina de um grupo de internos do Bloco F2, da unidade prisional. Os presos lançaram pedras sobre a equipe de segurança interna do presídio.

Espancamento

Na semana passada, um detento, identificado como Edson dos Santos Barbosa, de 23 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio no Centro de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Dez presos da cela 10 do Bloco Delta espancaram o jovem até serem contidos por monitores O homem foi levado para uma unidade de atendimento médico. A Sejap informou que seria aberto um inquérito.


 Do portal Imirante

"Major só protegia bandido e traficante" diz perfil do Prefeito Filuca em rede social.


Na noite de ontem (25) os internautas pinheirenses foram surpreendidos  com um comentário sem sentido, pretensioso e duvidoso de um perfil, ainda não confirmado se é o oficial, do Prefeito Filuca Mendes (PMDB), em uma rede social.

O comentário foi feito em uma postagem no Facebook, sobre uma matéria deste blog que falava da saída do Major Brandão do comando do 10° Batalhão de Policia Militar de Pinheiro (Reveja Aqui).

O blog tentou entrar em contato, para saber se foi o prefeito ou alguém ligado a ele que teceu o comentário, mas não obteve resposta. O certo é que esse perfil, que carrega seu nome, sempre faz postagens como se fosse ele e sobre coisas da sua vida particular. Todavia, estamos esperando o prefeito entrar em contato com o titular desta página.

O suposto gestor de Pinheiro, fez acusações muito sérias à respeito do Major Brandão e citou alguns nomes, que segundo ele, pertencem a "quadrilhas". E mostrou estar por dentro de assuntos que só dizem respeito a SSP-MA (Secretária de Segurança Publica do Maranhão) e ainda revelou que não teve nenhum envolvimento com a saída do major Brandão, mas se ele pudesse, teria tirado.

"Tu só pode ser traficante pois o major só protegia bandido e traficante. Eu não tive nada com a saída dele, mas se pudesse tirava, pois pelo que sei vai ser até expulso da polícia tu é de que quadrilha? Penando sr Beto do macapazinho Edinildo tucurui Alimir ou tantos outros" disse o pseudo Filuca.



24 de julho de 2015

PMDB é a própria eminência parda da República

Nas três décadas que se passaram desde que o Brasil retornou à democracia, poucas vezes o PMDB esteve fora do governo. Os dois presidentes que não tiveram peemedebistas em seus ministérios acabaram por lamentar suas ausências. Um deles foi alvo de um impeachment, aprovado com apoio do partido. O outro foi humilhado por um escândalo de compra de parlamentares – precipitado, na opinião de muitos, por sua decisão de governar com o apoio de legendas de aluguel. Uma máxima da política brasileira é que “ninguém governa sem o PMDB”.
Não que governar com esse partido de centro seja um piquenique. O PMDB é parte indispensável da coalizão liderada por Dilma Rousseff, do PT, uma agremiação de esquerda. Seu vice-presidente, Michel Temer, é o presidente do PMDB; os presidentes de ambas as Casas do Congresso também pertencem ao partido. Mas o relacionamento dos peemedebistas com o governo não tem sido dos mais colaborativos. Dilma vem passando maus bocados com a forte retração da economia, a inflação em alta e o gigantesco escândalo de corrupção na Petrobrás. O PMDB atormenta a presidente minando seus esforços de austeridade fiscal, base da política econômica atual, e unindo-se à oposição para ameaçá-la com um impeachment.
Na sexta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, anunciou sua decisão de romper com o governo e passar para a oposição (sem sair do PMDB). Foi uma reação às acusações de um lobista, feitas em depoimento à Justiça, de que em 2011 ele teria exigido US$ 5 milhões de propina em dois contratos da Petrobrás com fornecedores. Cunha nega as acusações. O governo estaria estimulando os procuradores a persegui-lo, com o intuito de restringir a autonomia do Congresso e desviar a atenção do papel que o próprio PT teve no escândalo, sustenta ele. O Planalto estaria sob o comando de um “bando de aloprados”.
É o indivíduo, não o partido, que está abandonando a coalizão, apressou-se em esclarecer o PMDB. Ainda assim, a deserção de Cunha é motivo de preocupação para Dilma. Na semana passada, soube-se que o Ministério Público do Distrito Federal está investigando seu antecessor e mentor político, Luiz Inácio Lula da Silva, por tráfico de influência em favor de empreiteiras. Lula nega a acusação. É um revés que só tende a aumentar o desgaste do PT. Mais do que nunca, a presidente depende do PMDB para conseguir chegar ao fim de seu mandato, em 2018. Cada vez mais, são os peemedebistas que dão as cartas.
Gênese. Se tudo que importasse fossem os números, o PMDB seria de longe o partido mais poderoso do País. Além de terem mais cadeiras no Congresso, os peemedebistas superam seus principais adversários – o PT e o oposicionista PSDB, de centro-direita, no número de governos estaduais e municipais. O PMDB conta com 2,4 milhões de filiados, frente a 1,6 milhão do PT.
Foi a ditadura militar que assentou os alicerces desse predomínio, diz Natalia Maciel, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Depois do golpe de 64, os generais obrigaram os partidos a se reunir em dois grandes blocos, um de apoio ao regime (chamado Arena), e outro de oposição (então chamado de MDB). O MDB, cujo nome mudou para PMDB em 1979, desempenhou papel crucial no retorno à democracia, em 1985. José Sarney, primeiro presidente (eleito indiretamente) do período democrático, embora oriundo da Arena, mudou-se para o PMDB em 1984 e tornou-se uma liderança peemedebista. Com a ajuda da máquina eleitoral construída durante a ditadura, o partido obteve a maioria nas duas Casas do Congresso e só deixou de conquistar um dos então 26 governos estaduais nas eleições de 1986.
Os militares haviam cassado os políticos mais radicais do MDB, deixando um partido dominado por moderados. Para manter o apelo abrangente, os peemedebistas adotaram uma ideologia flexível. Quando indagados sobre quais são suas principais bandeiras, os caciques do partido começam pela liberdade de expressão – e param por aí. O programa do PMDB está repleto de lugares-comuns; o único posicionamento assumido com firmeza é contra a pena de morte. Mais pró-negócios do que pró-mercado, o PMDB vive fazendo lobby por benefícios de caráter local ou por medidas que favorecem segmentos específicos da economia. Os críticos o acusam de ser um partido fisiologista, que troca apoio político por cargos no governo (ou, em alguns casos, por dinheiro em espécie). Os peemedebistas preferem ver a si próprios como guardiães da “governabilidade”. Um banqueiro (simpatizante do PSDB) diz que o PMDB é “um dos motivos por que o Brasil nunca se tornará uma Venezuela”.
No entanto, os números maiúsculos raramente se traduzem em poder. Como mostra a deserção solitária de Cunha, isso se deve, em parte, ao fato de que o partido é mais um agrupamento de políticos independentes do que uma plataforma de filosofia política. O PMDB não apresenta candidatos a presidente desde 1994, relegando aos mais ideológicos PSDB e PT a competição pela cadeira presidencial. Os vencedores dos pleitos invariavelmente se voltam para o PMDB em busca de apoio, mas não precisam se dar o trabalho de discutir o programa de governo com o partido.
Conversa fiada. As dificuldades de Dilma podem mudar isso. Temer tem desempenhado um papel de primeiro-ministro. Responsável por implementar o programa de austeridade, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tem reuniões mais frequentes com o vice-presidente do que com a própria Dilma, dizem assessores do ministro. Nos últimos tempos, as lideranças peemedebistas vêm dizendo que o partido concorrerá à Presidência em 2018. Os possíveis candidatos seriam Temer e Cunha, além do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (se a Olimpíada de 2016 com sede na cidade for um sucesso de organização).
Nada garante que isso não passe de conversa fiada. O PMDB sempre ameaça lançar candidatos, só para poder extrair vantagens do governo de turno, observa o filósofo da Universidade de Campinas Marcos Nobre, que escreveu um livro sobre o partido. Nobre acredita que os peemedebistas continuarão a se distanciar do governo, sem chegar a uma ruptura definitiva. Se o partido está falando a sério quando diz que pretende lançar uma candidatura à Presidência, terá de esclarecer quais são as suas propostas.
© 2015 THE ECONOMIST NEWSPAPER LIMITED. DIREITOS RESERVADOS. TRADUZIDO POR ALEXANDRE HUBNER, PUBLICADO SOB LICENÇA. O TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS ESTÁ EM WWW.ECONOMIST.COM


23 de julho de 2015

2016: Luciano afirma que Zé Arlindo está do seu lado.


Na tarde de hoje (23), participei de um encontro com o suplente de Deputado Estadual e Superintendente de articulação políticas da Baixada, Luciano Genésio (SDD) onde fui informado, com exclusividade, da junção de Luciano com o ex-prefeito de Pinheiro, Zé Arlindo (PSB).

O Suplente busca mais uma vez a união da oposição Pinheirense, fato que ocorreu no pleito de 2012 e mostrou dar resultado. Naquela época, o Superintendente foi vice de Zé, então prefeito, mas correm muitos boatos na cidade de que nesta próxima eleição pode ocorrer o inverso, fato não confirmado por Luciano.

A adesão de Arlindo ao projeto político de mudança, que Luciano busca para Pinheiro, mostra o enfraquecimento que a pré-campanha do até então vereador licenciado Dr. Leonardo Sá vem tendo, pois Zé  sempre foi aliado do doutorzinho e no ano passado, na campanha dele para Dep. Federal, foi um dos maiores incentivadores. Tudo nos leva a crer que é inviável a vinda de Sá como candidato a prefeito, afinal nem seus amigos o apoiam agora. 
 
Com isso, o jovem Genésio vem, mais uma vez, ser o candidato da oposição e com toda certeza será apoiado pelo Governador Flávio Dino (PCdoB) e pelo presidenciável Aécio Neves ( PSDB).

Novos tempos estão sendo previstos e Luciano, que é apontado como mais votado em todas as pesquisas,  parece que está em foco e levará nossa cidade novamente ao auge e prestigio que já tivemos nos tempos áureos.  



“Cidadão do Mundo”: Deputado Marco Aurélio destaca aprovação do programa

O deputado estadual Professor Marco Aurélio (PCdoB), usou a tribuna durante sessão plenária na manhã desta quarta-feira (08), para destacar a aprovação do Projeto de Lei nº 142/15, de iniciativa do Poder Executivo, que cria o Programa Estadual “Cidadão do Mundo”.

“A exemplo de programas instituídos pelo governo de Estado que tem destacado as políticas públicas para a juventude, como o CNH Jovem, aprovado pela Assembleia, cria-se uma expectativa muito boa para nossos jovens. Com a aprovação do Projeto Cidadão do Mundo, um programa de governo, uma que tem por finalidade buscar o intercâmbio internacional, uma experiência que será muito importante na vida dos jovens que participarão.” Ressaltou Marco Aurélio.

O referido programa consiste na concessão de bolsas de estudo aos jovens de 18 e 24 anos para realização do intercâmbio internacional em curso de ensino médio no exterior e de idioma estrangeiro. Dentre os objetivos do programa estão o incentivo à capacitação bilíngue dos jovens maranhenses, promover a integração e a atualização dos jovens maranhenses em relação a outras modalidades e propiciar o aprendizado de uma segunda língua por meio do acesso ao intercâmbio cultural.

O projeto, de competência da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), por meio do Instituto estadual de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FAPEMA).

Para o parlamentar, o programa será uma oportunidade importantíssima para o futuro dos jovens selecionados, além de contribuir para o desenvolvimento profissional dos mesmos. “A experiência, a fluência adquirida a partir de uma vivência em outro país são fatores de um enriquecimento cultural inestimável. Parabenizo o governo do estado, a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, que é quem vai conduzir este programa, e parabenizo a juventude do Maranhão que terá essa oportunidade desse intercâmbio internacional que, com certeza, irá fortalecer profissional e culturalmente.” concluiu Marco Aurélio.

Os candidatos ao Programa Estadual “Cidadão do Mundo” deverão obedecer os seguintes critérios: ter nacionalidade brasileira, ser aluno egresso da rede pública estadual de ensino ou de instituições de ensino vinculadas a entidades paraestatais ou a fundações sem fins lucrativos, ter realizado obrigatoriamente o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e ter obtido, ao longo imediatamente antecedente à inscrição no Programa, a frequência mínima de 85% (oitenta e cinco) nas aulas regulares.

Do Maranhão da Gente. 


Assaltantes explodem agência bancária em Guimarães

Foi registrado na madrugada desta quinta-feira (23) uma explosão a agência bancária do Bradesco no município de Guimarães.

Assaltantes invadiram e explodiram os caixas eletrônicos de uma agência bancárias no município por volta da 2h da manhã. Na fuga houve trocas de tiros com a polícia.

Até o momento o valor roubado não foi divulgado pela agência.


22 de julho de 2015

Sampaio apresenta lateral Léo Rodrigues

O lateral Léo Rodrigues foi apresentado oficialmente pelo Sampaio. Contratado como reforço para a lateral direita, o jogador já passou pelos exames de praxe e vai dar início aos treinos com os demais companheiros.
“É um atleta que nós conhecemos e que chega para nos ajudar nessa caminhada na Série B. Tenho certeza que dará muitas alegrias à torcida do Sampaio”, destacou o gerente de futebol, Zé Renato.
Léo Rodrigues se mostrou à vontade durante a apresentação e com bastante confiança em vestir a camisa Tricolor: “Agradeço a confiança da diretoria, que acreditou no meu futebol, e tem um projeto ambicioso. Chego para fazer parte desse grande objetivo do clube que é subir para a Série A”, ressaltou o novo contratado.
O lateral chega para uma posição que tem Daniel Damião e Marcelinho como opções, mas demonstrou tranquilidade em entrar nessa disputa: “Venho para trabalhar, buscar meu espaço e dar o melhor pelo Sampaio. Espero retribuir a confiança de todos aqui no Sampaio”.
Léo Rodrigues chega por empréstimo de um ano junto ao Figueirense, e a diretoria já trabalha para colocá-lo à disposição da comissão técnica o mais rápido possível.
jornal Pequeno


21 de julho de 2015

IFMA: Campus Pinheiro abre três vagas para professor substituto

Prazo para inscrições é de 21 de julho a 10 de agosto. Edital destina-se à contratação temporária de profissionais de Letras e Economia. Vencimento básico é de R$ 2.814,01;

Iniciaram-se nesta terça-feira (21 de julho) as inscrições do processo seletivo que oferece três vagas para professor substituto do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Pinheiro. As oportunidades são para profissionais de Letras (duas vagas) e Economia (uma vaga).

As inscrições para o certame seguem até 10 de agosto. O processo seletivo terá duas fases distintas – uma Prova Didática, de caráter eliminatório e classificatório, que será aplicada no dia 23 de agosto, na sede do IFMA em Pinheiro-MA; e uma Prova de Títulos, de caráter classificatório (o Curriculum Vitae devidamente comprovado do candidato deverá ser entregue no ato da apresentação para a Prova Didática).

Salário – O regime de trabalho é de 40 horas semanais. O vencimento básico é de R$ 2.814,01, podendo ser acrescida a Retribuição por Titulação (RT) de Especialização (R$ 370,72); de Mestrado (R$ 985,69) e de Doutorado (R$ 2.329,40) – não acumuláveis –; além de outras vantagens, benefícios e adicionais previstos na legislação vigente.

A seleção cumpre a substituição de professores efetivos que se afastarão das atividades da instituição de ensino para qualificações em mestrados, doutorados e pós-doutorados.  Os docentes contratados irão atender demandas das disciplinas Letras/Língua Portuguesa e Agronegócio/Economia Rural, que são ofertadas dentro das grades curriculares dos cursos da instituição.

Para quaisquer informações sobre o processo seletivo, o Campus Pinheiro disponibiliza o telefone (98) 3381-0153 em dias úteis, no horário de expediente (segunda a sexta-feira: das 8h às 12h e das 14h às 18h), ou através do endereço eletrônico comissão.pinheiro@ifma.edu.br, ​​no período de 21de julho a 10 de agosto de 2015.

Acesse o Edital.


Do Portal IFMA. 

Auditoria revela superfaturamento milionário nas obras do PAM Diamante

Mais de R$ 2 milhões foram lesados dos cofres públicos com a reforma do Hospital PAM Diamante. O rombo foi revelado em auditoria realizada pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle que constatou crimes e atos de improbidade praticados pelo ex-secretário Ricardo Murad na contratação das obras. O valor total da reforma e adequação da unidade correspondeu a R$ 13.784.618,05. Mesmo com o valor milionário, o hospital já apresenta graves problemas na infraestrutura.
O trabalho da auditoria revelou irregularidades como dispensa indevida de licitação, ausência de projeto básico, ausência de responsável técnico pela elaboração de projeto arquitetônico, itens em duplicidade nas planilhas de custos, superfaturamento e direcionamento de licitações. As obras no Pam Diamante foram iniciadas seis meses depois que Ricardo Murad assumiu a Secretaria de Saúde. O hospital foi fechado para a reforma e a empresa Lastro Engenharia Incorporações e Indústria Ltda foi contratada, sem licitação, por R$ 4.699.818,30.
A obra, contratada em 13 de novembro de 2009, deveria durar apenas seis meses e ser concluída até maio de 2010, pois era o limite legal para as contratações emergenciais. Contudo, o serviço se arrastou ao longo de quase cinco anos. Além disso, a contratação da Lastro Engenharia Incorporações e Indústria Ltda ocorreu de forma ilegal. A lei não permitia a contratação emergencial naquela circunstância e os laudos que justificavam a situação eram datados de 2007, não sendo mais possível fazer a contratação sem licitação.
Somente o crime de dispensa indevida de licitação implica em pena privativa de liberdade com detenção de 3 a 5 anos e multa, conforme a Lei nº 8.666/93. Porém, outros problemas graves foram encontrados pelos auditores como o fato de todas as propostas apresentarem planilhas idênticas, mesmo não havendo projeto básico no processo, e teriam sido elaboradas em apenas três dias, evidenciando fraude na contratação para beneficiar a Lastro Engenharia.
A auditoria constatou também que há itens na planilha que foram mensurados em duplicidade, ou seja, a empresa beneficiária do contrato sem licitação ainda receberia duas vezes pelo mesmo serviço. Pior, foi constatado o superfaturamento em diversos itens quando confrontados com a tabela de custos do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), resultando em contratação antieconômica. Alguns itens foram contratados com até 93% de superfaturamento.
Outra grave irregularidade foi que o contrato feito sem licitação foi concluído sem que a Secretaria de Saúde elaborasse o termo de recebimento definitivo da obra. Como o contrato foi sucedido por outros, a ausência da medição impossibilita constatar se os serviços contratados e pagos foram realmente executados.
Depois do contrato sem licitação no valor de R$ 4,6 milhões, a Lastro Engenharia foi novamente contratada pela Secretaria de Saúde na gestão do ex-secretário Ricardo Murad para realizar serviços semelhantes no Pam Diamante, através do Contrato nº 99/2011. Desta vez a contratação foi feita com licitação, na modalidade concorrência, mas a auditoria da Secretaria de Transparência e Controle aponta que houve fuga ao princípio da competitividade porque não ficou comprovado nos processos a data das publicações do edital em jornais e apenas a empresa Lastro Engenharia participou da licitação.
Nesse segundo contrato, houve irregularidades na assinatura de diversos aditivos. Em um deles, foram contratados serviços que já teriam sido executados. Em outro aditivo, a Secretaria de Saúde elevou o valor do contrato em percentual acima do permitido em lei. A auditoria também considerou indevidas as justificativas para alguns aditivos, pois afirmavam dificuldades quanto à capacitação de mão-de-obra e de fornecimento de materiais, demonstrando que a empresa não teria capacitação técnica e econômica para ter sido admitida na licitação.
O trabalho de auditoria evidenciou morosidade na execução dos serviços. O contrato assinado em 17 de maio de 2011 previa que as obras deveriam ser concluídas em 16 de maio de 2012, mas a empresa somente encerrou as atividades no canteiro de obras em 14 de agosto de 2013, com mais de um ano de atraso injustificado. Além disso, relatório fotográfico evidenciou prejuízo ao erário com a inexecução parcial do contrato.
Apesar da Lastro Engenharia não ter concluído o objeto contratado, o ex-secretário Ricardo Murad não adotou as medidas legais cabíveis contra a empresa, deixando injustificadamente de instaurar processo para a aplicação das sanções previstas na Lei nº 8.666/93, que poderiam obrigar a Lastro a pagar multa e ficar impedida de fazer novas contratações com a Administração Pública.
Outra irregularidade constatada foi quanto ao pagamento de parte da obra com recursos do BNDES sem que o banco tivesse autorizado e sem o aval da gerenciadora contratada pelo Governo do Maranhão. Mesmo tendo a Secretaria de Saúde um contrato em vigor com a empresa Proenge Engenharia e Projetos Ltda com esse propósito, os auditores observaram que não foi feita qualquer fiscalização em vários processos de medição dos serviços pagos.

20 de julho de 2015

“Lava-Jato” levou Sarney para o hospital


Do blog do John Cutrim – Recentemente, o ex-senador José Sarney (PMDB) bateu às portas do hospital Sírio Libanês em São Paulo. A notícia teve destaque nacional na revista Veja. No entanto, as razões do mal-estar de Sarney foram pouco exploradas.
Fonte bem situada com livre acesso à família informou ao blog que o cacique peemedebista anda muito nervoso. As preocupações de Sarney atendem pelo nome ‘Lava-Jato’. É que dois de seus mais próximos aliados, o senador Edison Lobão (PMDB) e o ex-secretário chefe da Casa Civil João Abreu são alvo direto da operação e andam dizendo que não vão responder sozinhos pelos esquemas de propinas dos quais são acusados. Eles já avisaram Sarney de que não cairão sozinhos e exigiram que o velho coronel dê um jeito de frear as investigações.
O problema é que sem o poder de mandatário de outrora, Sarney não vê no horizonte possibilidade de arquivar as investigações como nos casos da Lunus e da operação Faktor, operações também da Polícia Federal, que teve entre os acusados os filhos Roseana e Fernando Sarney, respectivamente.
Sarney ainda tentou com Lula na política e o renomado advogado Kakay no direito anular toda a ‘Lava-Jato’ no Supremo Tribunal Federal (STF). Não teve êxito. Com as operações determinadas pelo STF, contra Collor e outros, ele viu diminuir espaço para convencer Supremo.
Diante de tantos problemas e vendo as investigações da operação ‘Lava-Jato’ avançarem para o núcleo político, Sarney anda com a saúde abalada. O nível de tensão é tamanho que o coração de Sarney pregou-lhe um susto e ele foi parar no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Pelo rumo que tomam as investigações, Sarney precisa preparar o coração para fortes emoções. Afinal, o juiz Sérgio Moro está decidido a limpar a sujeira que por muito tempo foi arquivada para debaixo dos tapetes judiciários. E à medida em que o cerco de fecha aumentam as pressões da dupla Lobão e João Abreu sobre Sarney.
Em delação, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse ter se reunido pessoalmente com Roseana Sarney para tratar de propina. Segundo o ex-diretor, o senador Edison Lobão, ex-ministro de Minas e Energia, foi quem solicitou R$ 2 milhões, destinados à campanha de Roseana ao governo do Estado em 2010. O valor, afirmou Costa, foi pago em espécie via o doleiro Alberto Youssef. Este afirmou também em delação premiada à Polícia Federal que pagou propina de R$ 3 milhões para João Abreu, então chefe da Casa Civil.




19 de julho de 2015

Flávio Dino no limite do desgaste popular…

Pesquisa do Instituto Escutec divulgada na semana que passou revela que governo comunista – que começou com mais de 70% – hoje está com apenas 54% de aprovação popular, índice baixo para o tempo de mandato

Eleito com o discurso da mudança e tido como a renovação a política maranhense, o governador Flávio Dino (PCdoB) começa a perder o apoio popular que o consagrou nas urnas em 2014
De acordo com a última pesquisa do Instituto Escutec, divulgada na semana passada, apenas 54,7% do eleitorado de São Luís ainda aprova a gestão do comunista.
Em outras palavras, praticamente a metade do eleitorado da capital maranhense desaprova ou é indiferente ao governo Flávio Dino.
No levantamento mais apurado, o Escutec mostrou que apenas 24,53% da capital maranhense considera o governo “Ótimo” ou “Bom”.
O índice daqueles que consideram o governo “Ruim” ou “Péssimo” chega 29,4%.
O grosso do eleitor de São luís – nada menos que 40,1% – entende que Flávio Dino faz um governo apenas “Regular”.
A avaliação do governo Dino está, portanto, dentro daquilo que se vê nas redes sociais, nas rádios e nas manifestações populares:
Muita esperança depositada e pouca ação apresentada…


Secretaria de Meio Ambiente pagou mais de R$ 1 milhão por serviços fantasmas no Maranhão

Ação na Justiça Federal pede quebra de sigilo bancário e bloqueio de bens de ex-secretária e mais cinco servidores


Mais de R$ 1 milhão foram pagos pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), na gestão da ex-secretária Genilde Campagnaro, para a empresa Tramitty Business to Government, por serviços que não foram realizados. Esta semana, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) entrou com ação na 6ª Vara da Justiça Federal solicitando a quebra do sigilo bancário e bloqueio de bens dos envolvidos, incluindo os sócios da Tramitty, cinco ex-servidores estaduais e Campagnaro.

Genilde foi indicada para assumir a gestão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) pelo deputado federal Sarney Filho. Em sua gestão, a Tramitty foi contratada para fazer o termo de referência, que é o projeto de licitação, para serviços de assessoramento técnico na elaboração do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e no Plano de Recomposição de Área Degradada (PRAD). O problema, de acordo com a ação, é que a licitação foi vencida pela própria Tramitty.

Em auditoria realizada este ano, a Secretaria de Transparência e Controle (STC) constatou o direcionamento na licitação. O certame possuía exigências que impediam a participação de outras empresas. A única outra concorrente da licitação foi uma empresa que pertencia a um funcionário da Tramitty. “Dessa forma, fica claro mais um flagrante do conluio entre pseudos concorrentes objetivando fraudar a licitação, com a permissividade e atuação conjunta de servidores públicos, também réus no presente processo, que foram responsáveis pelo procedimento licitatório”, explicou o procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia, ao comentar a ação.

O contrato com a Tramitty foi firmado no valor de R$ 9,69 milhões a partir de recursos do Banco da Amazônia (Basa), por meio de convênio com o BNDES. Mesmo sem os serviços terem sido realizados, segundo levantamento da STC, foi efetuado o pagamento de R$ 1.453.500,00. “A única coisa encontrada para justificar o pagamento foi um plano de trabalho e o documento ainda estava fora das especificações exigidas pela própria na Tramitty, no termo de referência para a licitação”, disse Rodrigo Maia.

Diante das várias irregularidades, a PGE encaminhou o processo nº 78025-92.2015.4.01.3700 à 6ª Vara da Justiça Federal. Além do bloqueio dos bens e da quebra do sigilo bancário, a PGE pede o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 4.360.500,00, sendo R$ 1.453.500,00 referente ao pagamento feito à Tramitty e mais multa civil de R$ 2.907.000,00, que corresponde ao dobro do dano causado, conforme prevê a Lei de Improbidade Administrativa.